domingo, 16 de novembro de 2014

Mangá "NANA", de Ai Yazawa

"NANA é a história sobre duas garotas que tem o primeiro nome em comum, Nana Oosaki e Nana Komatsu. São de estilos e comportamentos totalmente diferentes. Nana Komatsu é ingênua e sonhadora, a típica garota do campo que não sabe o que quer para sua vida. A outra é Nana Oosaki moderna e fashion, é vocalista de uma banda punk, ela está determinada a ter sucesso com suas músicas. As duas garotas se encontram no trem indo para Tokyo e desenham uma história recheada de amores, sonhos e amizades."


Basicamente, esta é a sinopse de NANA, mas não pense que este é simplesmente um mangá para garotas. A história que Ai Yazawa (criadora do mangá) nos apresenta possui muitos elementos conhecidos, mas ela tem o fator de contar tudo de uma maneira tão sensível e emocionante que NANA acaba sendo muito verossímil. Parece que todos os personagens ali são reais e que poderíamos encontrá-los por aí e nos tornarmos amigos!

NANA não deixa de ser um mangá sobre sonhos, mas a vida de nenhum dos personagens ali é fácil, e todos eles possuem suas falhas. Nana Komatsu é a típica garota que quer se casar com um homem legal, ter filhos e viver uma vida tradicional em uma casa bonita e agradável. Só que nesta tentativa de encontrar o cara perfeito ela acaba se metendo em vários acontecimentos que só a deprimem. Seu apelido é Hachi (nome japonês dado normalmente a cachorrinhos), o que já nos dá uma mostra de sua personalidade: ela é muito dependente do afeto de outras pessoas, sentimental ao extremo e frágil.


Nana Oosaki é o oposto. Uma mulher forte, determinada, que fará de tudo para realizar seu sonho e que sempre tem um pensamento independente. No começo ela é alheia a vida de Hachi, mas depois que começa a morar com ela no mesmo apartamento acaba se afeiçoando a garota. As duas acabam se tornando melhoras amigas e suas vidas de certa maneira acabam se entrelaçando. O futuro dessa amizade é sempre contado de maneira melancólica pela Hachi, em pequenos detalhes no começo de cada capítulo do mangá, o nos faz pensar que não parece que será um final feliz...

Entretanto não pensem que NANA é um mangá apenas triste e cheio de dramas, tudo ali é contado com um cotidiano cheio de piadinhas e coisas engraçadas, com um humor excelente que só a Ai Yazawa consegue fazer! Claro que existem os momentos dramáticos, mas a maior parte do tempo você estará rindo! O traço da escritora também é lindo, e consegue refletir bem cada uma das cenas, o desenho de seus personagens é cheio de personalidade!

Há muito que se falar de NANA, mas este é apenas um post introdutório, não quero contar spoilers deste que é um dos meus mangás favoritos da vida, apenas recomendo fortemente que todos leiam! Talvez, em outro post, eu conte mais detalhes e minhas impressões sobre todos os eventos! O mangá foi publicado no Brasil pela JBC, e é fácil de conseguir pelo site da editora.

A autora

Ai Yazawa é um pseudônimo que surgiu de Ai (amor em japonês) e de seu cantor favorito Eikichi Yazawa. Ela sempre foi uma defensora dos mangas no estilo shojo. Nascida em Hyogo, tem seus trabalhos publicado há 20 anos. Ela usa elementos de personalidade contrastante para dar um tom em suas histórias (isto é, garotas boas e garotas más) e usa seu conhecimento adquirido em escolas de moda para dar um estilo único e sotaques para seus personagens. Seu sucesso com NANA lhe deu o Shogakukan Manga Awards.

0 comentários:

Postar um comentário