quinta-feira, 6 de agosto de 2015

"Admirável Mundo Novo" de Aldous Huxley

ADMIRÁVEL MUNDO NOVO
Aldous Huxley
312 páginas
Editora Globo

De todas as distopias clássicas, a que menos gosto é Admirável Mundo Novo. Na história a manipulação genética avançada faz com que as pessoas sejam condicionadas em castas, sendo a Alfa a casta mais alta, e a Ípsilon a casta mais baixa. Sendo que cada casta é condicionada a fazer uma determinada tarefa, as castas funcionam como uma pirâmide. Quanto mais alto na pirâmide, mais intelectualmente é a casta, e quanto mais baixa mais ignorantes são. Neste mundo todos viveriam felizes, não importa a tarefa que são determinados a fazer, isso tudo por causa de muita lavagem cerebral desde quando ainda são apenas bebês. Além disso, existe também uma droga chamada soma, que preenche as lacunas de vazio e tristeza, algo como uma droga da felicidade.

Este mundo também possui algumas peculiaridades, como o fato de ninguém ter família, pois todos são criados em laboratórios, fazendo que só a menção das palavras "pai" e "mãe" gere desconforto em quem escuta, causando aversão. A solidão também não é bem vista, sendo criado o lema "cada um pertence a todos". A promiscuidade também é incentivada, é recomendável que a população tenha vários parceiros e que não se apegue a uma pessoa por muito tempo.

A apresentação deste mundo na primeira parte da história é incrível; já a segunda parte decai um pouco, quando o personagem Bernard, um Alfa mais, resolve visitar uma zona selvagem onde pessoas ainda vivem de forma primitiva, sem nenhuma das regras da "sociedade civilizada". Bernard conhece Linda e seu filho John, que depois são levados à civilização, e todas suas consequências a partir dali. Tenho a impressão que o autor não foi tão criativo nos acontecimentos da metade pro final, mas ainda sim levanta questionamentos interessantes.

É uma das obras distópicas mais importantes a serem lidas, recomendo que pulem o prólogo, pois contém uma revelação sobre o final, e voltem a ler quando terminarem o livro. Caso queiram ler sobre outras distopias, clique aqui.

Sobre o autor

Aldous Leonard Huxley nasceu 26 de Julho de 1894, foi um escritor inglês. Passou parte da sua vida nos Estados Unidos, e viveu em Los Angeles de 1937 até a sua morte, em 1963. Mais conhecido pelos seus romances, como Admirável Mundo Novo e diversos ensaios, Huxley também editou a revista Oxford Poetry e publicou contos, poesias, literatura de viagem e guiões de filmes.

0 comentários:

Postar um comentário