segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Filme "O Pequeno Príncipe" de 2015

Pesquisando na web sobre filmes que foram adaptados de alguma outra mídia (seja ela livros, quadrinhos ou games) é comum vermos comentários como "o filme deve funcionar por si só" sem a necessidade do público ir em busca de algo para entender. Eu concordo com isso, mas as adaptações em geral não podem excluir os fãs da obra original em busca de uma nova identidade para a história. Quem acompanha esta minha coluna Livro + Filme sabe como eu sempre tento fazer uma crítica conciliando os dois lados, o que ficou melhor ou pior etc. No caso de O Pequeno Príncipe lançado agora em 2015, temos um fato curioso, a inserção de uma história paralela dentro da original.





Desde o começo o filme já nos deixa bem claro que a história é sobre uma garotinha, que vive com uma mãe possessiva que a força em atividades de estudo e faz o que pode para que ela consiga entrar em uma ótima escola. Elas se mudam para uma nova casa, e seu vizinho nada mais é que um velhinho maluco nada convencional que não se encaixa no estilo de vida adulto. A protagonista acaba fazendo amizade com este velhinho e então que nos é inserido a história do livro O Pequeno Príncipe. Ou seja, é uma história dentro de outra história.


É inegável a comparação do relacionamento da menina com o velho com outra animação, Up, só que aqui temos uma inversão de papéis. O velho é uma figura excêntrica e divertida, enquanto a garota é uma personagem apática. A menina com o tempo consegue conquistar com seu carisma, afinal de contas ela é apenas uma menininha sufocada pela rigorosa rotina de horários que sua mãe criou. Há varias cenas coloridas dela descobrindo brincadeiras, uma crítica de certa forma aos pais que não dão espaço para crianças serem crianças. A história da menina não é ruim, apesar de ser previsível, o que achei ruim mesmo foi o fato de darem pouco destaque ao Pequeno Príncipe.

Senti que a história do Pequeno Príncipe foi apressada, e muitas partes do livro foram mostradas com apenas uma breve cena. Compreendo que muitos vão dizer "poxa, a história sempre foi sobre a garotinha", mas gente, o título é "O Pequeno Príncipe", precisavam se esforçar mais para contar sobre o livro né? Sem contar que estamos falando de um dos livros mais famosos do mundo, e infelizmente inserir uma história carne de vaca e misturar com uma tão poética e filosófica como é a do livro não me parece uma boa forma de honrar a história de Antoine de Saint-Exupéry. E o final, que não irei entrar em detalhes para evitar spoilers, mas que me pareceu muito simplório e sem criatividade para algo que merecia mais. Ao meu ver, também, o Pequeno Príncipe nunca se afastaria tanto de seus ideais a ponto de ficar como mostrado no filme, pois ele é a personificação de diversos valores.


Espero que quem tenha gostado do filme leia o original, e quem ainda não assistiu, faça questão de ler o livro primeiro. A animação está excelente, digital nas cenas de "mundo real" e em stop-motion para as cenas do Pequeno Príncipe, porém, faltou ousadia, faltou inspiração, foi um filme que ficou muito na zona de conforto. As crianças vão gostar? Sim, mas infelizmente não posso considerar o filme uma obra prima. Ainda espero o dia que consigam trazer a beleza poética do livro com a estética do cinema.

0 comentários:

Postar um comentário