sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Personagem do mês: Marvin


Marvin é um robô que faz parte da nave Coração de Ouro, ele é um dos personagens preferidos dos fãs da obra Guia do Mochileiro das Galáxias. De acordo com Douglas Adams, a ideia para Marvin surgiu como paródia a Andrew Marshall, um escritor cômico. Stephen Moore, que o interpretou na rádio e TV, diz também que a criação da personagem foi influenciada por Bisonho, personagem de O Ursinho Pooh, e o chef de cozinha Clement Freud. Foi originalmente escrito para aparecer apenas uma vez na série de rádio. Mas depois de sua estréia, Marvin se tornou favorito instantâneo dos fãs. O produtor do programa na época, Geoffrey Perkins, incentivou Adams a desenvolver Marvin em um dos principais personagens da série.

"Vida? Não me fale de vida!"

Mas qual a razão das pessoas acharem ele tão fantástico? Bem, digamos que ele possui uma personalidade um pouco fora dos padrões! Ele é um dos protótipos da Companhia Cibernética Sírius projetados com a revolucionária tecnologia de Personalidade Humana Genuína (PHG). A PHG proporciona a esses protótipos as reações e emoções humanas mais variadas. E então que notamos que Marvin é um robô tristonho, com depressão, mas que faz os melhores comentários de toda galáxia! Suas frases são muito marcantes!

"Minha capacidade para ser feliz poderia ser colocada em uma caixa de fósforos, sem tirar os fósforos antes."

Marvin possui um "cérebro do tamanho de um planeta", com um QI de 161612, que é 50.000 vezes superior ao de um ser humano (e 30 bilhões de vezes mais inteligente do que um colchão). Entretanto, as funções para a quais é designado são das mais banais (como abrir portas, escoltar visitantes e sentar a um canto de uma sala e ser ignorado por todos). Essas tarefas tão absurdamente simples para seu intelecto superior, e resultam no PHG do androide uma profunda e prolongada depressão, além de um sentimento de completo desprezo pela vida.

Quando Marvin está depressivo (ou seja, o tempo inteiro!) tem o costume de ser sarcástico, sagaz e até mesmo zombeteiro! A seguir o diálogo que ele tem com Arthur em O Restaurante no fim do universo:

"-Quer dizer - disse Arthur-, quer dizer que você pode ver dentro da minha mente?
- Posso - disse Marvin. Arthur olhou espantado.
- E...?
- Fico impressionado com o fato de você conseguir viver num lugar tão pequeno."

Hahahaha! Marvin fazendo piada sobre a inteligência de Arthur é uma das melhores coisas! Outra curiosidade é o fato dele ser 37 vezes mais velho que o próprio universo, em decorrência de várias viagens no tempo. Já na adaptação em filme de 2005, foi interpretado por dois atores que também aturaram em Harry Potter! No caso, Alan Rickman como a sua voz, e Warwick Davis como seu corpo, sendo que respectivamente foram os professores de Hogwarts (Rickman como Severus Snape e Davis como Filius Flitwick). Inclusive, o filme tem o melhor visual de Marvin na minha opinião, ficou uma coisa fofa, engraçada, mas ao tempo passa a sagacidade do personagem.
Também não posso esquecer que ele sempre tem dores fortes em seus diodos, que nunca conseguiu trocar. Sua história de como foi feito, com a companhia do ratinho, é bem triste, sério. No fim das contas, ele é o personagem que mais sofreu durante a saga! Seu final em Até mais, e obrigado pelos peixes! dividiu minha opinião, por um lado fiquei feliz, mas só de pensar em sua existência é bem triste. Termino um post com mais uma frase reclamando sobre a vida.

"Ah, a vida! Pode-se odiá-la ou ignorá-la, mas é impossível gostar dela"

0 comentários:

Postar um comentário