terça-feira, 22 de março de 2016

TAG Lava Jato


Como faz tempo que não respondo TAGs, resolvi responder duas este mês. São 12 perguntas que consistem em relacionar personagens da Operação Lava-Jato (da Polícia Federal) com livros. Vi a TAG no canal da Isa, e a mesma coisa que ela disse no vídeo eu repito aqui: não tenho partido político, não sou da esquerda, ou direita, de baixo ou pra cima... mas sou a favor de justiça. São perguntas para descontrair sobre um assunto que é bem sério.

1- Dilma – Um livro que é só decepção
É difícil eu ler um livro que foi completamente ruim a ponto de ser uma decepção. Alguns anos atrás, li para o vestibular Dançar Tango em Porto Alegre, de Sérgio Faraco, e este livro foi uma decepção tão grande que chegou a me irritar. Livro péssimo, até hoje não entendi a razão de colocarem a obra como leitura obrigatória na época.

2- Lula – Um livro que você ganhou de um amigo
É difícil eu ganhar livro, sério! O último livro que ganhei foi Morte Súbita, da J.K. Rowling, de um amigo que também adora a autora. Inclusive, espero que as pessoas me deem mais livros de presente!

3- Sérgio Moro – Um livro que te prendeu muito rápido
Maldito Coração, de JT LeRoy. É uma história bem macabra sobre a infância de um garotinho, envolvendo prostituição, fanatismo religioso, disfunção sexual etc. Ainda quero ler outros livros da Laura Albert, pois gostei muito deste!

4- Panelaço – Um livro que todo mundo gosta mas que você não consegue gostar
Olha, não é nem um livro em si, mas o autor como um todo, que é o Paulo Coelho. Li vários textos que ele publicava em jornais, e aqui no blog só falei sobre A margem do rio Piedra eu sentei e chorei. Basicamente não gosto por considerar seus livros uma tremenda picaretagem, não sei se vocês me entendem, mas é isso que sinto.

5- Eduardo Cunha – Um livro sobre criminosos
Memórias do submundo, de Rodger Klinger. As memórias desse livro são de Rodger, que ao tentar traficar drogas do Brasil para a Alemanha, acaba sendo preso, é então que ficamos sabendo como é o convívio entre criminosos dentro de uma cadeia.

6- Foro Privilegiado – Um livro acima do bem e do mal por alguma razão
Breakfast at Tiffany's do Truman Capote. Sei que muitos não gostam de Truman Capote, mas seus livros estão acima do bem e do mal, em minha opinião, claro. Inclusive, este livro tá virando lenda aqui no blog, fiz promessa de falar escrever sobre ele e até agora nada.

7- João Santana – Um livro ruim apesar de toda a propaganda
Eu fico loko, de Christian Figueiredo. Você vê este livro nas estantes da livraria, o pessoal tirando fotinho e colocando no Instagram, o número grande de vendas que sempre faz ele entrar no ranking de mais vendidos... mas não, nem a propaganda toda me convence que este livro é bom.

8- Triplex dos Marinho – Um livro que não tem a atenção que merece
A terra inteira e o céu infinito, de Ruth Ozeki. É um livro até bem comentado, mas ainda poderia ser mais, principalmente por alguns assuntos que aborda, como bullying, que são muito comentados atualmente. E a escrita de Ruth Ozeki também é excelente.

9- Aécio Neves – Um livro escrito sob o efeito de drogas
Através do Espelho e o que Alice encontrou por lá, de Lewis Carroll. É a continuação da primeira história de Alice, e é tão surtada como a primeira, repleta de situações nonsenses.

10- Delcídio do Amaral – Um livro que abriu caminho para outros livros
1984, de George Orwell. Ele foi bem precursor por ditar muitos elementos que apareceriam em outras obras, principalmente as distópicas.

11- Japonês da Federal – Um livro presente em vários momentos
A Revolução dos Bichos, também de George Orwell. É um livro para todos os momentos, principalmente agora quando passamos por toda essa situação no país.

12- Jair Bolsonaro – Um livro que se aproveitou do momento
Trilogia Divergente, de Veronica Roth. São livros com méritos próprios, mas é inegável que a saga se aproveitou do sucesso de Jogos Vorazes.

13- Condução Coercitiva – Um livro que você foi obrigado a ler
Já falei na tag anterior sobre livros que fui obrigado a ler na escola, então não falarei deles. Escolhi O Guardião, de Dean Koontz, por causa do Desafio da Tag Cultural que participei ano passado.  No desafio eu tinha que ler um livro de mistério, como eu já tinha esse livro de mistério em casa há um tempão, me sentido obrigado a ler.

Quem gostou da TAG pode responder também. É uma boa oportunidade para ficar pode dentro dos assuntos de cada uma das perguntas!

0 comentários:

Postar um comentário