terça-feira, 31 de maio de 2016

"A Fúria dos Reis", de George R. R. Martin

A continuação de A Guerra dos Tronos segue a mesma linha do primeiro: repleto de intrigas, traições, reviravoltas e muita fantasia. A primeira metade do livro não tem o ritmo fascinante que me fez gostar da saga, e apenas da metade para o final que a história volta a pegar fôlego e a leitura se torna viciante. Posso dizer que gostei menos deste livro, fiquei com a impressão que este é um volume intermediário para o próximo. Isso é o máximo que posso falar sem entregar spoilers, quem tiver interesse em saber detalhes do que achei sobre cada personagem, continue lendo abaixo!

A FÚRIA DOS REIS
George R. R. Martin
656 páginas
Editora LeYa

Para quem não está lembrado, o primeiro volume terminou com uma guerra explodindo entre os sete reinos, e aqui cada um dos personagens vai se declarar rei e querer conquistar o trono de ferro. A trama começa com um cometa vermelho passando por Westeros, e logo no prólogo já conhecemos uma das personagens mais incríveis, e vemos como o Martin tem talento para contar uma história instigante. O autor continua com sua estrutura de capítulos contados sobre ponto de vista de vários personagens, escrevi abaixo um resuminho e comentei sobre.

Arya Stark: Se torna uma das principais neste volume, pois possui vários capítulos de ponto de vista. Vamos descobrir como a menina conseguiu fugir de Porto Real, e vamos acompanhar sua tentativa de seguir rumo até à muralha. Pelo caminho ela vai conhecer vários personagens e passar por muitas dificuldades. Ela foi um dos motivos que achei o começo do livro arrastado, pois seus capítulos soaram muito repetitivos, ela sofre horrores e pouco acontece em sua trajetória. Até estava decepcionado com o Martin, pois tinha gostado muito dela no volume anterior, e então ele escreve vários capítulos chatos com a personagem... porém em certo ponto sua história fica interessante, principalmente quando interage com o Jaqen H'ghar, que é um personagem todo misterioso e que vai ajudá-la. Quando terminei de ler o livro, os capítulos dela foram os primeiros que voltei a reler, e no fim das contas não achei tão inúteis assim.

Sansa Stark: Ela continua sendo vítima dos Lannister, que a deixam presa como "moeda de troca" caso os Stark tenham interesse em liberarem ela por Jamie Lannister (irmão da rainha e também seu amante). Neste livro ela está começando a deixar de ser sonsa, o que já é uma coisa boa. Seu relacionamento com o Cão de Caça também é intrigante.

Tyrion Lannister: O anão também ganha bastante protagonismo neste volume, e comecei a gostar do personagem. Descobrimos que ele se torna o novo Mão do Rei e acompanhamos como ele irá lidar com todas as situações e perigos que o cargo exige. Tyrion vai sentir na pele como é estar em um local onde não pode confiar em ninguém, inclusive membros de sua família. O único ponto baixo de seus capítulos são os envolvimentos com a Shae, um romancinho bobo que ao meu ver é uma parte da trama que não vai chegar a lugar nenhum.

Bran Stark: Outro personagem que também terá muita presença no livro. Seus pontos de vista mostram o lado mágico da história. Ele começa a ter conhecimento de seus poderes, como a visão verde e sua capacidade de "entrar" em seu lobo, e com ajuda começa a desenvolver essas habilidades.

Jon Snow: Agora que tomou a decisão de realmente ser um membro da Patrulha da Noite, o filho bastardo de Ned irá para além da muralha descobrir o que está acontecendo por lá e tentar encontrar seu tio Benjen. Seus capítulos no geral foram os mais decepcionantes, pois esperava alguma coisa relacionada aos Outros, mas ele irá se deparar apenas com Craster, um maluco que casa com as próprias filhas; e alguns selvagens. O pior de tudo é que podemos esperar um futuro romancinho... (oh não!) com uma selvagem. Suas escolhas no final do volume só podem remeter a treta...

Catelyn Tully: Seus pontos de vista vão nos contar um pouco da guerra que está acontecendo, principalmente o lado de seu filho Robb. Ela continua forte, mesmo com todos os problemas que sua família vem sofrendo. Ela também será a ligação para conhecermos o lado de Renly Baratheon (irmão de Robert Baratheon e que agora reivindica seu lugar no trono).

Davos: Era um contrabandista e acabou se tornando o cavaleiro mais fiel de Stannis Baratheon. O papel mais importante dele será nos apresentar alguns personagens e elementos novos na história. Não parece simpatizar com todas as decisões que seu líder Stannis está tomando, principalmente o que diz respeito a Sacerdotisa Vermelha e sua religião.

Theon Greyjoy: É o personagem mais chato que o Martin já criou (mais até que Joffrey). Era amigo dos Stark, mal apareceu no primeiro livro, mas agora ganha vários capítulos com ponto de vista. É um completa babaca, volta para junto de sua família e agora também quer seu pedaço de bolo no meio de tudo que está acontecendo. Ao longo da história faz um monte de escolhas estúpidas, e acaba sendo caçoado por todo mundo, é arrogante e não percebe as idiotices que faz. Inclusive vai cometer uma traição contra os Stark que sempre o acolheram muito bem. Vai invadir Winterfell, mas será traído no final e ainda se dará muito mal. Sua irmã, Asha Greyjoy, é bem mais interessante e vive tirando sarro dele.

Daenerys Targaryen: Na minha opinião os melhores capítulos foram os dela. Vemos como a mãe dos dragões está sofrendo para sobreviver depois de todos os eventos no final do primeiro volume, e o que ela está fazendo para dar a volta por cima de tudo isso. O legal de seus capítulos é que todos vão direto ao ponto, sem enrolações, o que me agradou bastante. A cena na Casa dos Imortais merece destaque, por ser cheia de mistérios e revelações.

Os personagens abaixo não possuem ponto de vista mas acho importante citá-los.

Stannis Baratheon: Logo após a morte do irmão Robert Baratheon, quer seu lugar por direito ao trono, já que descobre que Joffrey é filho de incesto entre a rainha e seu irmão Jamie. Também possui uma rixa com o irmão mais novo, Renly, e parece estar disposto em conseguir tudo o que quer.

Melisandre: Conhecida como Sacerdotisa Vermelha, é uma mulher de incrível beleza, que se veste completamente de vermelho e segue a fé cegamente em R'hllor. É uma profetiza e poderosa feiticeira, está do lado do Stannis e vai ajudá-lo a conquistar o que quer, por mais obscuro que seja o modo. A personagem por completo é repleta de mistérios, e nem preciso dizer que já se tornou logo de cara uma das minhas favoritas!

Brienne de Tarth: Mais uma personagem que se tornou uma aquisição incrível para a trama. Tem um jeito masculino e é considerada feia pelos personagens, porém é forte e corajosa, além de uma guerreira hábil. No começo do livro está do lado de Renly, mas depois de vários acontecimentos acaba ficando aliada de Catelyn.

Cersei Lannister: Não podia esquecer de falar desta personagem, que está me conquistando cada vez mais. Ela tem sua dose de maldade dentro da história, mas seu relacionamento com o irmão Tyrion, e até mesmo a Sansa, são brilhantes dentro da trama.

Basicamente foi isso o que achei desta parte de As Crônicas de Gelo e Fogo. O maior problema, como citei, foram muitos capítulos que podiam ser comprimidos, deixando o ritmo mais fluído.  A sutileza em como tudo nos é contado ainda está ali, e é por isso que nos prende, e nos faz querer ler um livro atrás do outro. Ainda tenho pretensão de ler toda a saga, e a terceira parte começo ainda este ano.

0 comentários:

Postar um comentário