sábado, 25 de junho de 2016

Livro para ler em um dia: "Aura", de Carlos Fuentes

Para meu desafio 10 livros para ler em 2016 (sim, eu não esqueci do meu desafio), coloquei Aura, do mexicano Carlos Fuentes, para representar uma história de mistério, terror etc. Não vou mentir, não senti medo com o livro, muito menos achei a escrita brilhante. Aura se encaixa mais como uma novela, pois não chega a ter o tamanho de um romance e muito menos é curto como um conto.

AURA
Carlos Fuentes
80 páginas
Editora L&PM

A história é sobre um rapaz, que consegue um emprego meio estranho em um casa sinistra. Lá ele conhece uma senhora já bem velha, que explica qual deve ser seu trabalho: revisar as memórias do marido dela, já falecido, pois ela tem a intenção de publicá-los. O nosso protagonista também conhece Aura, uma linda jovem, e logo de primeira acaba tendo sentimentos por ela.

Se eu explicar qualquer coisa já vou revelar as surpresas ao ler. O que acontece é uma série de situações estranhas, o próprio local onde se passa a história já é medonho por si só. Carlos Fuentes cria uma sensação de desconforto para o leitor. Contudo tenho que dizer que não achei a escrita dele excelente, mesmo que a história seja boa. Em alguns momento existe um exagero de descrições, em outros, senti falta que ele explicasse melhor o que houve.

Há uma mistura de sonho e realidade que permeia o enredo inteiro. Com certeza não fui o único que ficou em dúvida sobre o que afinal de contas estava acontecendo na trama. Porém não fiquei incomodado, muito pelo contrário, deixa o livro ainda mais interessante! Também notei um teor meio simbólico em algumas coisas, fiquei na duvida se tinham significado ou se são cenas apenas para criar terror. Uma história bizarra com personagens bizarros, é a melhor maneira de descrever esta obra. Recomendo a leitura, até por ser curtinha e rápida.

Sobre o autor


Carlos Fuentes é considerado um renovador e um dos maiores escritores mexicanos. Nasceu em 1928 no Panamá, aos 16 anos vai para o México e começa a trabalhar como jornalista para a revista Hoy. Nos anos 1960, vive entre Paris, Veneza, Londres e a Cidade do México. Fuentes recebeu diversos prêmios, entre eles o Prêmio Nacional de Literatura, o mais importante do gênero em seu país. Sua obra é extensa, tendo escrito peças de teatro, ensaios, contos e romances.

0 comentários:

Postar um comentário