sábado, 18 de fevereiro de 2017

"Mastigando Humanos", de Santiago Nazarian

Mastigando Humanos é sobre um jacaré, que vive no esgoto, o "submundo" de uma grande metrópole, que acaba passando por várias crises existencialistas, onde seus principais amigos são um sapo fumante, um cachorro perdido no mundo e um menino morador de rua, além de se apaixonar por um tonel de óleo velho chamado Santana... Esse é o começo do relato de vida de um jacaré, parece loucura demais? Pois saiba que foi isso que me fez adorar essa fábula surtada, ou como diz o próprio livro, psicodélica.


MASTIGANDO HUMANOS
Santiago Nazarian
175 páginas
Editora Record

A história, apesar de seus momentos depressivos, é hilária. Em vários momentos comecei a dar risada sem parar, principalmente pelas situações inusitadas. O escritor monta várias críticas a sociedade mas sem perder o bom humor, o que é excelente. As comparações e metáforas que Nazarian faz da vida de um jacaré com um ser humano são bem pensadas, e nos faz refletir sobre a vida que levamos, principalmente nas cidades grande, com rotina agitada, péssima alimentação e vícios. Isso nos levanta perguntas como: será que é isso que realmente queremos? É algo que conseguimos mudar?

O jacaré também critica as relações atuais, cada vez menos substanciais, comparando a comida drive-thru. Em uma etapa de sua vida ele entra no "meio acadêmico" e não deixa de fazer observações, que considerei sensatas. “O conhecimento acadêmico afinal é como um telefone sem fio. Um segue o outro, e no final nem se sabe mais sobre o que está se falando. Muitas vezes nem a mensagem original faz sentido. Basta criar termos para manter suas grandes bocas ocupadas. E seus cérebros se exercitando.”

Há várias referências e citações, desde Freud até Frank Sinatra, desde cultura pop até a Academia Brasileira. Os relatos ficam o tempo todo entre o real e o imaginário, e devo admitir que adorei o final. É um livro, no mínimo, curioso, ao mesmo tempo divertido, e acima de tudo criativo. Detalhe que o livro foi lançado originalmente pela Nova Fronteira com uma capa péssima, e depois teve os direitos de publicação adquiridos pela Record e ganhou essa capa atual que é melhor trabalhada e mais condizente com a obra.

O autor


Santiago Nazarian nasceu em São Paulo, em 1977. É autor de seis romances, em 2003 recebeu o Prêmio Fundação Conrado Wessel de Literatura por Olívio, seu romance de estreia. Em 2007 foi eleio um dos autores jovens mais importantes da América Latina pelo júri do Hay Festival em Bogotá, Capital do Mundo. Tem romances e contos publicados em diversos países da América Latina e Europa.

0 comentários:

Postar um comentário