domingo, 26 de fevereiro de 2017

TAG Palavras Cruzadas


Eu tinha a nítida sensação que já tinha respondido esta tag, mas fui procurar no blog e não encontrei. Ou escrevi, mas acabei excluindo sem querer... Enfim, como gosto muito das perguntas que compõe a lista, resolvi responder novamente. Tag criado pela Inês.

1) Vox Populi (um livro para recomendar a toda a gente)
Ultimante tenho recomendado muito Precisamos muito falar sobre o Kevin, livro excelente da Lionel Shriver, que fala sobre vários problemas da sociedade.

2) Maldito plágio (um livro que gostávamos de ter escrito)
Breakfast at Tiffany's, do Capote, por causa da protagonista, e também pela melancolia da história. Sempre me imaginei escrevendo um livro melancólico.

3) Não vale a pena abater árvores por causa disto
Eu fico loko, de Christian Figueiredo. Inclusive, está na hora de dar outra chance a livros de youtubers. Talvez aquele do Felipe Neto, já que ele foi um dos primeiros youtubers.

4) Não és tu, sou eu (um livro bom lido na altura errada)
Clássicos brasileiros, li na época na adolescência por causa da escola. São livros bons, importantes, mas não tive curiosidade o suficiente para ter vontade de ler novamente.

5) Eu tentei... (um livro que tentamos ler mas não conseguimos)
Memórias de um Sargento de Milícia, tentei ler alguns anos atrás e não consegui. Este e outros clássicos estão na meta para serem lidos.

6) Hã? (um livro que lemos e não entendemos nada OU um livro que teve um final surpreendente)
A Tormenta de Espadas, de George R. R. Martin. Quando terminei fiquei com a sensação de: que livro é esse minha gente? Não apenas o final é surpreendente, como o livro inteiro é uma sucessão de eventos que nos deixam de boca aberta.

7) É tão bom, não foi? (um livro que devoramos)
Citarei novamente Precisamos muito falar sobre o Kevin, foi o livro recente que devorei mais rápido. É estranho pois já sabemos o final da história, mas mesmo assim continuamos a ler para entendermos o que causou tudo aquilo.

8) Entre livros e tachos (uma personagem que gostaríamos que cozinhasse para nós)
Molly Weasley, com certeza! Sempre que aconteciam cenas de jantar e almoço eu sempre imaginava ficar comendo junto da família Weasley.


9) Fast Forward (um livro que podia ter menos páginas que não se perdia nada)
Sempre cito ele, mas é o que mais representa essa categoria: Um Dia, de David Nichols. Ele com certeza seria um livro bem melhor se tivesse se controlado no número de páginas.

10) Às cegas (um livro que escolheríamos só por causa do título)
Androides sonham com ovelhas elétricas? de Philip K. Dick. Um título estranho, mas curioso. Inclusive todos os livros do escritor possuem títulos diferentes do usual.

11) O que conta é o interior (um livro bom com uma capa feia)
Muitos livros antigos que eu gostava tinham capas bem feias, mas recentemente houve relançamentos e as editoras começaram a ter um melhor cuidado nesta parte. Mas uma saga onde as capas brasileiras  me incomodam muito são As Crônicas de Gelo e Fogo, lançadas pela Editora LeYa. Não que as ilustrações sejam ruins, mas não indicam muita coisa sobre a obra, poderiam se encaixar em qualquer outro livro de fantasia ou medieval que não faria a menor diferença.

12) Rir é o melhor remédio (um livro que nos tenha feito rir)
Mastigando Humanos, de Santiago Nazarian. Um livro com uma história psicodélica sobre um jacaré que passa por várias crises existenciais com muito bom-humor.


13) Tragam-me os Kleenex, se faz favor (um livro que nos tenha feito chorar)
É difícil um livro me fazer chorar, mas A Terra inteira e o céu infinito de Ruth Ozeki quase conseguiu. Fala sobre a história de uma menina que sofre bullying nas escolas do Japão.

14) Este livro tem um v de volta (um livro que não emprestaríamos a ninguém)
Minha edição de Brakfast at Tiffany's, amo esse livro e como ele foi importado não saiu relativamente barato. E tem de certa forma um valor sentimental, era um livro que eu queria há muito tempo.

15) Espera aí que eu já te atendo (um livro ou autor que estamos constantemente a adiar)
Orgulho e Preconceito, da Jane Austen. Já faz vários anos que estou adiando a autora, e por enquanto não existe sinal no fim do túnel para ler os livros dela.

Outra tag concluída! Não deixem de colocar nos comentários outras tags interessantes!

0 comentários:

Postar um comentário