sexta-feira, 3 de março de 2017

Manga "Helter Skelter", de Kyoko Okazaki

Antes mesmo do lançamento, já tinha ouvido falar sobre esse incrível manga. Quando a NewPOP anunciou que seria seu próximo lançamento, fiquei muito feliz. O manga foi lançado em um grande volume único, mas só consegui ler agora, e apesar dos sérios erros de revisão por parte da editora, gostei da edição. Lembrando que o título não tem nada a ver com o famoso assassinato da atriz Sharon Tate. Porém a trama aqui é quase tão bizarra quanto os crimes cometidos por Charles Manson.

HELTER SKELTER
Kyoko Okazaki
320 páginas
Editora NewPOP

A história é focada em Lilico, uma famosa modelo japonesa, que possui uma incrível beleza, e é considerada a maior pop star do momento. Por razão de estar sempre na mídia, acaba se tornando uma pessoa esnobe, fútil, egoísta, intolerante e autoritária. O que ninguém sabe, por outro lado, é que Lilico só conseguiu tudo o que tem hoje por causa de tratamentos estéticos. Ou seja, antes de ser famosa, Lilico era uma pessoa comum, uma "mulher gorda e feia" como ela mesmo diz. Depois de várias cirurgias plásticas é que ela fica incrivelmente linda.

Em um determinado momento, ela vai perceber que está começando a ficar velha, e que outra modelo, muito mais jovem e bonita, está tomando seu lugar nos holofotes. Depois de tantas mudanças, seu corpo não aguenta e começa a rejeitar todas as cirurgias, acarretando vários problemas estranhos, como hematomas e ferimentos. Por razões disso tudo, Lilico começa a surtar, ficando cada dia mais maluca. Ela já era uma pessoa extravagante antes, depois fica completamente paranoica.


O que posso dizer é que o desenrolar da história é sensacional. Em alguns momentos pode parecer um pouco fantasioso demais, mas funciona muito bem com a mensagem que a autora quer passar. Até mesmo o final completamente inesperado eu adorei, e soa condizente com as lendas urbanas grotescas que são populares no Japão. O traço de Kyoko é simples, mas combina com a obra. Seus desenhos parecem muito com rabiscos, mas isso é um estilo comum em josei, gênero de mangas para mulheres adultas.

O que me fez refletir, logo após ler Helter Skelter, é o quanto essa história é verdadeira. Fica muito claro quando vemos artistas fazendo várias cirurgias plásticas por não aceitarem a velhice. Ou muitos deles que mudam completamente o físico para atingirem a fama. O pior é vermos as clínicas estéticas apoiando esse tipo de comportamento doentio. A mangaka trata o assunto de uma forma muito crítica, denunciando toda essa loucura em torno dos procedimentos.

Sobre a autora


Kyoko Okazaki, nascida em 13 de dezembro de 1963, é considerada por muitos como uma das mães de quadrinhos josei. Reconhecida por seus projetos minimalistas e tendência para cobrir temas controversos. Enquanto estudava na Universidade Atomi, Okazaki fez sua estréia em Cartoon Burikko, uma antologia de quadrinhos adultos experimental principalmente voltada para homens. Voltaria em seguida seu foco para questões de mulheres, concentrando-se nas questões das jovens contemporâneas, Okazaki nunca se esquivou da cultura da rua, da alta moda e do uso de drogas em suas narrativas. Ela então assumiria sua primeira série de longa duração chamada Tokyo Girls Bravo. Okazaki está em aposentadoria desde o final do século passado, quando ela se recupera de um acidente de trânsito potencialmente fatal.

0 comentários:

Postar um comentário