terça-feira, 19 de setembro de 2017

Série "American Horror Story: Murder House"

A série é uma antologia criada por Ryan Murphy e Brad Falchuk, e foi responsável por trazer o terror de volta a televisão. Como a série é uma antologia, cada temporada não possui ligação uma com a outra (apesar de que todas aparentam se passar no mesmo mundo), sendo assim os roteiristas podem brincar bastante com os conceitos de terror. A temática do primeiro ano é a "casa dos assassinatos" e é a minha preferida.


A temática é bem simples: uma família problemática acaba de se mudar para uma nova casa, uma mansão luxuosa muito abaixo do preço usual, em uma tentativa de reconciliação. O fato que eles desconhecem, na verdade, é que ocorreram vários assassinatos na moradia, levando a residência a ser referida como mal-assombrada. A partir disso vamos conhecer, além da família, os vizinhos enxeridos, a empregada misteriosa, o homem deformado que ronda a casa, além das estranhas criaturas que vivem no porão e sótão... não posso esquecer de mencionar também o Rubber Man, que é a personificação do mal em uma roupa BDSM de látex negro.


O que eu gosto em Murder House é que ela possui um tema, fantasmas, e segue com ele até o final (diferente de Asylum, que se perde no meio de tantas temáticas). Essa temporada tem uma pegada muito forte de filmes como O Bebê de Rosemary, O Iluminado, Sexto Sentido e Os Outros, além de várias outras coisas. E por incrível que pareça, essa mistura de referências funciona, e faz com que a série seja bem dinâmica. Vale lembrar que os fantasmas mencionados não se parecem em nada com aqueles de lençol branco que pulam na sua cara gritando. Os fantasmas de Murder House são bem reais, e perigosos, cada um agindo conforme seus interesses. No começo somos instigados a tentar descobrir quem está vivo ou quem é uma simples aparição, e logo em seguida nos é revelado a vida desses antigos moradores.


Existe muito que ser comentado sobre os dramas de cada personagem, mas falar sobre isso é entregar um monte de spoilers. O que posso dizer é que, mesmo tendo como foco assassinatos e fantasmas, outro tema principal é a depressão. O elenco todo é maravilhoso, e se encaixam como uma luva nos personagens (inclusive isso é algo que não podemos reclamar de nenhuma temporada). Mesmo o roteiro possuindo algumas esquisitices, essa temporada ainda é concisa, passando longe dos exageros que viriam a ser feitos nos anos seguintes. Tem um desenrolar convincente, um final muito bom, e ainda conseguirá surpreender o espectador mais desavisado. Sendo assim, recomendo a todos assistirem, e é uma ótimo começo para essa série tão popular. Em breve falarei sobre as outras temporadas!

0 comentários:

Postar um comentário