sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

"História do Rio Grande do Sul", de Moacyr Flores

Vou admitir que pouco conheço da história do meu querido estado, e para quem não sabe eu nasci no Rio Grande do Sul, e para melhorar a situação fui em busca de livros que tratassem do assunto. Conforme fui pesquisando na web, descobri as obras de Moacyr Flores, que é um ensaísta e historiador gaúcho. O escritor já escreveu mais de 20 livros, sempre possuindo como foco a Revolução Farroupilha. Entretanto, encontrei em minha faculdade seu livro que conta de forma resumida a História do Rio Grande do Sul.


O livro, na verdade, é uma grande síntese que o autor preparava para suas aulas que lecionava como professor. Moacyr Flores possui graduação em História pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1964) e doutorado em História pela mesma universidade (1993). Foi professor na PUC e na Universidade Federal do Rio Grande do Sul. O livro é intrigante por ser extremamente direto, o que deixa a leitura ágil, mas ao mesmo tempo nos dá vontade de pesquisar mais detalhes para entendermos como tudo aconteceu no passado.

O professor conta a história do RS desde seus primórdios, falando sobre as tribos indígenas que existiam, fiquei particularmente fascinado com toda a mitologia das culturas. Depois vemos a chegada dos europeus, o sistema escravagista, as diversas imigrações, as revoluções, e até mesmo todas as batalhas enfrentadas, até chegar os dias atuais. Todos os eventos são fascinantes, e percebemos como temos uma história rica que, de certa forma, não é exatamente sobre heroísmos como conhecemos.

"Há duas correntes sobre a origem do gaúcho: uma histórica baseada em documentos e em crônicas de viajantes e outra mística criada pelos intelectuais através de contos e poesias românticas"

Foi interessante descobrir que o censo de 1814 indicava uma população formada de 36,41% de negros afro-descendentes, e que tiveram um momento histórico importante durante a Revolução Farroupilha: a Batalha dos Porongos, onde Lanceiros Negros foram traídos e massacrados. Uma parte tão chocante da história do Rio Grande do Sul que ficou esquecida, e toda a cultura dos afro-descendentes acabou suprimida até os dias contemporâneos. O que me fez questionar o feriado de 20 de Setembro, afinal, o que estamos comemorando, qual tradição gaúcha que estamos celebrando?

O autor destacou também a imigração da população de vários países europeus (em uma tentativa de "branquear" a população brasileira). Tivemos imigração e colonização alemã, italiana, polonesa, judaica e até mesmo japonesa, que deixaram sua marca e costumes na história do estado. Também vamos saber alguns episódios curiosos do passado do Rio Grande do Sul, como o dos muckers, um movimento messiânico que tinha como líder Jacobina Mentz Maurer, que apresentava-se como a reencarnação de Cristo.

"O Rio Grande do Sul é formado por um mosaico cultural, graças ao processo de imigração e de colonização, infelizmente a generalização do tradicionalismo, inclusive em áreas onde não existiu o gaúcho, está destruindo a riqueza de diversidade cultural"

Também é dedicado espaço no livro para falar sobre os dos partidos que surgiram, o Conservador e Liberal, além do golpe de Júlio de Castilho para se manter no poder e até mesmo o positivismo, uma forma de autoritarismo em que não se podia contestar o governo. Moacyr Flores vai dedicar um espaço pequeno, e eu diria pequenos demais, para falar sobre as instituições culturais. Quando terminei de ler o livro surgiu uma grande vontade de seguir viagem pelo estado e buscar todos os documentos que ele menciona, conferir de perto e perceber o quanto a História do Rio Grande do Sul foi extremamente emblemática.

Não sei se esse livro é fácil de ser encontrado, mas vale a pena procurar e descobrir mais sobre essa parte da História do Brasil.

0 comentários:

Postar um comentário